Mão Iluminada: uma atividade interdisciplinar

Mão Iluminada: uma atividade interdisciplinar

Como cativar os estudantes do ensino médio para as áreas exatas?

Foi essa pergunta que motivou um grupo de professores e técnicos da UCS – Campus de Bento Gonçalves, a pensar em uma atividade instigante, prazerosa, investigativa e criativa que pudesse promover um “encantamento” e, também, despertar o interesse dos adolescentes pelos estudos e pelas áreas exatas em geral.

Uma atividade bem no estilo “mão na massa“, com certeza chamaria a atenção dos alunos!

E foi assim que surgiu a Mão Iluminada: uma mão de poliuretano com leds instalados nos dedos, construída em laboratórios de química e engenharia. Ler mais

Aula de exercícios animada pelo jogo de poker

Aula de exercícios animada pelo jogo de poker

Nas aulas de matemática, em geral,  é necessário propor aos alunos a realização de exercícios de fixação e o sucesso da aprendizagem está relacionado com a compreensão e resolução de tais exercícios.

Porém, os estudantes acham muito chatas aquelas listas intermináveis de exercícios. E eles têm razão! As aulas tornam-se enfadonhas quando a dinâmica do professor é apenas baseada em quadro, livro, pincel e listas de exercícios.

É preciso encontrar formas para tornar os tais exercícios divertidos! Eu utilizo um jogo de poker com algumas regras criadas por mim e tenho obtido ótimos resultados.

Vou explicar para você como funciona esta estratégia.

Antes de mais nada, quero lhe contar que já utilizei esta técnica com turmas de ensino fundamental, ensino médio e, também, em cursos superiores de engenharia. Todas as turmas gostaram, participaram e até vibraram com o jogo. No final das aulas, os estudantes saíram bem satisfeitos pois fizeram uma atividade diferente e aprenderam bastante!

Bem, em primeiro lugar escolho um conteúdo qualquer que desejo fixar. Depois, preparo as questões em um PowerPoint, sendo uma questão em cada slide.

Na figura abaixo estão alguns slides que utilizo nas aulas de Álgebra Linear, em cursos de Engenharia.

Após a elaboração dos slides, é necessário providenciar as moedas para o jogo.

Na imagem abaixo mostro as moedas que utilizo: são fichas plásticas coloridas adquiridas em lojas de brinquedos. Outra opção é confeccionar as fichas em EVA.

 

Eu utilizo fichas de mesma cor e, para uma sala de 50 alunos organizados em trios, são necessárias em torno de 200 fichas.

A turma é dividida em pequenos grupos de três ou quatro pessoas. Para turmas pequenas (20 a 30 alunos) podem ser formadas duplas. É muito importante que o trabalho seja feito em grupos para promover a troca de ideias e a discussão que enriquecem o aprendizado.

Estando os grupos formados explico as regras do jogo:

1 – Cada grupo receberá 5 fichas.

2 – Em cada rodada será apresentado um exercício em PowerPoint para a turma toda e será escolhido um grupo para fazer a aposta inicial. Este grupo será chamado de “grupo-dealer” que deverá apostar 1, 2 ou 3 fichas, no máximo.

3- O grupo-dealer deverá fazer a aposta imediatamente após a leitura do exercício.

4 – Os demais grupos poderão fazer a mesma aposta que o dealer, dobrar a aposta ou desistir. Serão permitidas apenas três desistências durante toda a atividade.

5- Todas as apostas deverão ser colocadas em local de destaque na mesa do grupo.

6 – Após todos os grupos apostarem, o grupo dealer poderá dobrar a aposta, se quiser.

7 – Os grupos terão 5 minutos cronometrados para a resolução do exercício. É permitida a consulta nos materiais dos alunos.

8 – Após o tempo estabelecido, o professor passará em cada grupo e analisará a resolução. Se a resposta estiver correta, o grupo receberá tantas moedas quantas apostou; caso contrário,  perderá as moedas apostadas. Nenhum grupo poderá falar em voz alta sua resposta para evitar que os demais grupos reformulem suas resoluções.

9 – O jogo prossegue com uma nova questão  apresentada e outro grupo-dealer escolhido para fazer a aposta inicial.

10 – Na última questão, cada grupo poderá apostar quantas fichas quiser e, após a correção, vencerá o grupo que tiver juntado mais fichas.

O jogo é muito emocionante e o fato de fazer apostas entusiasma os estudantes!

É de suma importância, em algum momento,  resolver com a classe as questões apresentadas. Poderá ser imediatamente após a correção de cada exercício ou ao final do jogo.

Eu resolvo e explico no quadro cada questão logo após a correção feita nos grupos.

 

Os alunos são muitos receptivos e participam com satisfação da atividade.

 

O final do jogo é sempre muito emocionante pois os grupos normalmente apostam todas as fichas que conseguiram juntar até aquele momento. Então os grupos que que errarem a última questão perdem tudo!

Costumo premiar o grupo vencedor, ou os grupos vencedores caso haja empate. A premiação pode ser alguns décimos na nota da disciplina ou, até mesmo, uma caixa de bombons que é repartida entre os componentes.

Este jogo aplicado nas aulas de matemática ou de qualquer outro componente curricular é sucesso garantido!

 

 

Função do 1º grau com o Desmos

Um amigo me apresentou o Desmos para a construção de gráficos e eu achei-o muito interessante!

A princípio, não tive curiosidade em explorar o Desmos, pois já utilizava o Winplot e outros softwares em sala de aula e para a realização de trabalhos. Mas, passado algum tempo, resolvi conhecer o Desmos e me encantei.

Então, desenvolvi algumas estratégias para o ensino de funções que quero compartilhar com você! Ler mais

Cruzadinhas matemáticas com a calculadora

Cruzadinhas matemáticas com a calculadora

Nesta semana realizei uma oficina de matemática com alunos do ensino médio da Escola Elisa Tramontina de Carlos Barbosa, por ocasião da visita deles à Universidade. Propus aos jovens um desafio: elaborar cruzadinhas matemáticas com a calculadora.

Mas o que são cruzadinhas matemáticas?

Cruzadinhas matemáticas nada mais são do palavras cruzadas geradas por expressões numéricas, que devem ser resolvidas com a máquina, e cujos resultados revelam palavras quando a calculadora é virada de ponta-cabeça!

 

Isso mesmo, a resolução correta da expressão gera uma palavra que preenche a cruzadinha!

Os alunos gostaram bastante e eu vou contar para vocês os detalhes desta experiência. Ler mais

Funções animadas pelo software Geonext

Funções animadas pelo software Geonext

Para despertar o interesse dos estudantes no estudo e aprendizagem da matemática muitos professores dedicam seu tempo na pesquisa e criação de formas atrativas de abordar os conteúdos. Nos últimos anos observa-se um interesse crescente nesse sentido, em todas as áreas.

Porém, criar estratégias diferenciadas e interessantes para os conteúdos matemáticos do ensino médio é um verdadeiro desafio! Atividades muito lúdicas já não têm lugar nessa fase da escolaridade e aulas tradicionais não prendem a atenção dos jovens.

O que fazer, então, para encantar os adolescentes nas aulas de matemática? Ler mais

A história da matemática em quadrinhos

A história da matemática em quadrinhos

É preocupação crescente dos professores, de forma geral, buscar diferentes metodologias e estratégias de ensino da matemática para “encantar” os alunos e despertar neles o gosto pelo componente curricular.

Então, por que não utilizar a história da matemática no ensino fundamental e médio como recurso?

A história da matemática é uma ferramenta poderosa que pode auxiliar o professor na árdua tarefa de manter a atenção e interesse dos estudantes nas aulas de matemática. E quando aliada às histórias em quadrinhos … fica uma dupla perfeita!!! Ler mais

Quer mandar bem na prova de matemática do ENEM?

Quer mandar bem na prova de matemática do ENEM?

Não é novidade para ninguém que o nível de aprendizado em matemática dos estudantes brasileiros está muito baixo. Essa constatação é feita, periodicamente, pelas provas aplicadas a nível estadual, nacional ou internacional.

De acordo com dados divulgados pelo MEC e apurados pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), em 2015 chegou-se ao pior resultado desde 2005! E, mais que isso, o desempenho dos estudantes no ensino  médio foi pior que há 20 anos! Ler mais

Para nunca mais esquecer dos logaritmos

Para nunca mais esquecer dos logaritmos

Você sabe o que são logaritmos e para que servem? Tenho feito esse questionamento para alunos de ensino médio ou superior que já estudaram logaritmos e pouquíssimas vezes obtive uma resposta satisfatória! Aliás, ao tocar no assunto observo expressões negativas e de total desconhecimento.

Fico pensando no motivo pelo qual os alunos não retêm os conhecimentos aprendidos sobre logaritmos. Como é o ensino desse conteúdo na maioria das escolas? As provas de matemática do ENEM apresentam questões que devem ser resolvidas com o uso dos logaritmos e só aqueles que realmente aprenderam têm condições de solucioná-las! Ler mais