Conectando Literatura e Matemática

Conectando Literatura e Matemática

O trabalho com a matemática na educação infantil e anos iniciais fica muito mais rico se o professor promove atividades que fazem conexão com a literatura infantil. As histórias podem atuar como um estímulo, desafiar os estudantes e trazer a ludicidade ao processo de ensino-aprendizagem.

A literatura infantil permite, também, que a interdisciplinaridade ocorra, facilitando o entrelaçamento entre conceitos da vida real e a linguagem matemática. A partir de diferentes enredos é possível explorar muitos tópicos de matemática utilizando representações gráficas, físicas, numéricas e verbais (Kátia Smolle et all).

Seguem, abaixo, algumas ideias. Leia, também, o artigo Literatura Infantil x Matemática que trata sobre o mesmo assunto.

Os pingos e os amigos

Os sete pingos mostram, neste livro, que sabem contar até 10. Contam diferentes animais, tais como, bezerros, formigas, lagartas, passarinhos, sapos, etc. Até que, no final, percebem que são 7 pingos e precisam mais 3 animais para formar um conjunto  musical!

 

 

A bonita história escrita por Mary e Eliardo França, editora Global, possibilita muitas explorações. Seguem três propostas:

Colando bolinhas

Para esta atividade, as crianças farão bolinhas de papel e as colarão em uma folha, tal como mostrada abaixo, as quantidades de bolinhas indicadas. Faça cópia aqui do material.

 

Pintando os dedos

As crianças pintarão tantos dedinhos conforme a quantidade indicada, mostrando-a de duas formas diferentes. Faça cópia aqui da folha de atividades.

Somas com o dominó

O professor irá organizar as crianças em duplas ou trios e entregar um jogo de dominó e folhas, como a que segue abaixo. As crianças deverão organizar as peças a partir da contagem do número de bolinhas em cada uma:

 

Se os alunos já souberem escrever somas, poderão registrar as frases matemáticas aditivas correspondentes a cada peça do dominó: 0+6=6 e 6+0=6; 1+5=6 e 5+1=6, 3+3=6, 2+4=6 e 4+2=6.

 

 

Tocaram a campainha

Este livro, escrito por Pat Hutchins com tradução de Ana Maria Machado, editora Salamandra, fala sobre divisão. Uma mãe ia repartir doze deliciosos biscoitos  entre os dois filhos mas, na hora de comer, a campainha tocou. Eram duas crianças da vizinhança e, agora, os biscoitos seriam divididos entre 4.  Na hora de comer, tocaram a campainha novamente … e mais uma vez … e mais uma vez …

 

A história é excelente para introduzir a noção de divisão. Algumas sugestões de atividades seguem abaixo.

Repartindo biscoitos

Material: pratinhos de papelão (ou folhas de papel), tampinhas

As crianças ficam em duplas de posse do material. A duplas irão descobrir, a partir de diferentes situações, quantos biscoitos (tampinhas) cada personagem da história receberia caso as divisões fossem feitas.

Assim como na história, primeiramente o professor solicita a divisão das 12 tampinhas entre duas pessoas. Então, cada dupla toma 2 pratinhos e reparte as 12 tampinhas em dois grupos,  guardando cada grupo em um prato. Assim, descobre que cada grupo fica com 6 tampinhas.

Depois, as 12 tampinhas devem ser divididas em 4 grupos. A dupla toma 4 pratinhos e faz a divisão, guardando os grupos de tampinhas em cada um. Em cada prato são guardadas 3 tampinhas.

Para dividir as 12 tampinhas entre 6 pessoas, cada dupla toma 6 pratinhos e distribui as tampinhas entre eles. Em cada prato são colocadas 2 tampinhas.

Na última situação, cada dupla toma 12 pratinhos e divide as 12 tampinhas em 12 grupos e descobre que, em cada grupo, fica 1 tampinha.

Uma folha, como a que é apresentada em seguida, pode ser entregue para que cada criança registre as atividades:

 

Faça uma cópia aqui da folha de registros.

Outras situações semelhantes podem ser propostas. A diferença é que, agora, sobrará resto.

Por exemplo, para dividir 12 tampinhas entre 5 grupos, ficam 2 tampinhas em cada grupo e sobram 2 tampinhas.

Clique aqui para copiar uma folha de atividades.

A atividade que proponho agora, fará a criança refletir um pouco sobre a divisão por 2 . Para tanto, vamos utilizar sempre dois pratinhos (ou folhas de papel) e diferentes quantidades de tampinhas.

 

 

 

Fazendo divisões por 2 com quantidades iguais a 10 tampinhas até 20 tampinhas, os alunos poderão concluir que sempre que o número é par a divisão tem resto zero e quando o número é impar a divisão tem resto 1. Clique aqui para fazer uma cópia desta folha de atividades.

 

Viviana a rainha do pijama

Viviana, que adora animais, decide convidá-los para uma festa do pijama. Ela tem um pijama fantástico e está curiosa para saber como é o pijama de seus convidados. Por isso, aquele que tiver o pijama mais animal ganhará um prêmio sensacional!

Viviana escreve uma carta convidando alguns animais, tais como, o leão, o pinguim, o jacaré, a girafa, etc. Eles respondem através de uma carta e comparecem à festa com pijamas irados!

A história, de autoria de Steve Webb, editora Salamandra, é bem bonita e o livro, com certeza, vai agradar a gurizada!

 

Algumas atividades que podem ser propostas seguem abaixo:

Qual o pijama preferido da turma?

As crianças escolhem, através de uma votação, qual o animal que vestiu o pijama mais bonito. O resultado é expresso através de uma tabela e de um gráfico tal como mostra o modelo abaixo.

 

A partir dos resultados da votação, uma série de situações-problema podem ser propostas.

Faça uma cópia do gráfico aqui.

Quantas possibilidades?

A partir das escolhas da turma referente aos três pijamas mais bonitos, e que podem ser observados no gráfico proposto anteriormente, a ideia agora é pensar nas possibilidades de combiná-los e mostrar quantas e quais são as opções para os três primeiros colocados.

Por exemplo, digamos que os três melhores pijamas que a classe elegeu sejam dos seguintes animais: leão, polvo, e macaco. Para os três primeiros lugares um dos possíveis esquemas de resolução, chamado de árvore das possibilidades,  é o que segue. A árvore mostra que são seis opções:

Combinando estampas

Outra atividade, que utiliza a ideia de combinatória da multiplicação, solicita que a turma escolha três diferentes cores e três diferentes estampas para os pijamas. As estampas podem ser aquelas mostradas na história ou outras criadas pelos alunos.

Sejam, por exemplo,  as cores vermelho, amarelo, azul; as estampas  coroa (leão), nuvem (girafa), números (polvo) e o desenho de pijamas; os alunos deverão descobrir quantos pijamas será possível criar. Uma das possibilidades é a mostrada abaixo. No total serão 9 combinações.

 

Referências Bibliográficas

SMOLE, Kátia C. S. et all. Era uma vez na matemática: uma conexão com a literatura infantil. 6. ed. São Paulo: IME-USP, 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *