Mão Iluminada: uma atividade interdisciplinar

Como cativar os estudantes do ensino médio para as áreas exatas?

Foi essa pergunta que motivou um grupo de professores e técnicos da UCS – Campus de Bento Gonçalves, a pensar em uma atividade instigante, prazerosa, investigativa e criativa que pudesse promover um “encantamento” e, também, despertar o interesse dos adolescentes pelos estudos e pelas áreas exatas em geral.

Uma atividade bem no estilo “mão na massa“, com certeza chamaria a atenção dos alunos!

E foi assim que surgiu a Mão Iluminada: uma mão de poliuretano com leds instalados nos dedos, construída em laboratórios de química e engenharia.

Muito bem, vou detalhar todas as etapas desse projeto!

Primeiramente é elaborado um calendário de atendimentos e o mesmo é divulgado para as escolas de Ensino Médio da região em que o Campus está inserido.

As escolas inscrevem, via e-mail ou telefone, uma turma de até 30 alunos em cada data disponível no calendário. A atividade dura 3 horas e acontece nas sextas-feiras de manhã, das 8 h às 11 h.

Na data agendada os alunos são recebidos no Campus e, após uma conversa inicial, partem para o primeiro destino: o laboratório de química. Neste local, fazem um experimento que consiste em modelar uma mão em luva cirúrgica com poliuretano (PU) expandido.

Sempre buscando conexões do projeto com os conteúdos escolares, são abordados assuntos relacionados às reações químicas, tipos de reações, ligações uretânicas, reagentes, densidade, formas de descarte dos polímeros para amenizar os danos ao meio ambiente, dentre outros assuntos.

Em seguida, os estudantes reúnem-se em grupos de 3 ou 4 componentes para fazer o experimento que consiste em misturar duas substâncias, isocianato e poliol, agitá-las e derramar o produto em uma luva cirúrgica.

Após alguns minutos ocorre uma reação química e a mistura expande-se dentro da luva e, depois endurece, tomando a forma de uma mão.

A luva é previamente preparada e nela são inseridos três canudinhos de refresco em três dedos da mesma, de forma que o poliuretano, ao ser derramado na luva, expande-se de forma regular envolvendo os canudos.

Após as mãos estarem prontas, os alunos são conduzidos ao laboratório de engenharia elétrica para construir circuitos elétricos com led’s que serão instalados nos dedos das “mãos”.

Para tal, são abordados os seguintes assuntos: elétrons, circuitos elétricos, fontes de energia, dentre outros.

Após uma conversa inicial e algumas explicações, os estudantes, nos mesmos grupos formados inicialmente, utilizam o ferro de solda, fios condutores, estanho, carregadores de celular em desuso e outros materiais para realizar a atividade.

Os carregadores celular em desuso (lixo eletrônico) são solicitados às turmas inscritas na atividade. Eles são utilizados como fonte de energia das “mãos iluminadas” produzidas.

Em cada “mão” os estudantes instalam três led’s sendo que os circuitos elétricos passam por dentro dos canudinhos de refresco que foram inseridos nas luvas.

 

 

Após esse trabalho, cada grupo pinta sua “mão iluminada” com tinta de tecido.

 

 

E, no final, os grupos levam para casa suas “Mãos Iluminadas”.

Ao findar  os trabalhos, os estudantes e professores acompanhantes preenchem um questionário de pesquisa que pretende verificar o grau de satisfação do grupo e, também, colher sugestões para aprimoramento.

Os estudantes participam com interesse e atenção de todas as etapas e a grande maioria sai da instituição muito feliz e exultante.

Com certeza, estudar Matemática, Física e Química torna-se muito mais interessante quando atividades interdisciplinares e contextualizadas são promovidas para dar sentido à aprendizagem, pois os alunos conseguem estabelecer relações próximas com o seu cotidiano, suas vivências e seus conhecimentos prévios.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *