A história da matemática em quadrinhos

É preocupação crescente dos professores, de forma geral, buscar diferentes metodologias e estratégias de ensino da matemática para “encantar” os alunos e despertar neles o gosto pelo componente curricular.

Então, por que não utilizar a história da matemática no ensino fundamental e médio como recurso?

A história da matemática é uma ferramenta poderosa que pode auxiliar o professor na árdua tarefa de manter a atenção e interesse dos estudantes nas aulas de matemática. E quando aliada às histórias em quadrinhos … fica uma dupla perfeita!!!

A busca por novos caminhos para ensinar matemática se deve ao fraco desempenho em matemática das crianças e jovens no país inteiro, e à constatação de que uma significativa parcela não gosta, não entende a matemática que é ensinada e não sabe qual a utilidade de muitos dos conteúdos que aprende.

Alguns estudantes chegam a verbalizar sentimentos de repulsa àqueles que, no passado, inventaram tantas fórmulas! A matemática é um verdadeiro bicho-papão para muitos estudantes!

 

 

De encontro a essa inquietação dos docentes, os PCN para o ensino da matemática sugerem algumas alternativas para o fazer pedagógico do professor e, dentre elas,  está o recurso à história da matemática.

Ao mostrar a matemática como uma criação humana devido à necessidade de resolver problemas em diferentes momentos históricos, o professor tem a possibilidade de desenvolver valores e atitudes mais favoráveis das crianças e jovens frente ao conhecimento matemático.

A história da matemática é um instrumento que resgata a identidade cultural e pode dar respostas respostas a muitas dúvidas dos alunos acerca dos conteúdos além de enriquecer as aulas de matemática no ensino básico.

Contudo, onde encontrar uma história da matemática escrita de maneira simples e que possa ser contada aos alunos?

Existem revistas e livros especializados mas, nos últimos anos, observa-se que os livros didáticos fazem, cada vez mais, conexões da história da matemática com os conteúdos. Também os paradidáticos muito contribuem nesse sentido!

Quais são as vantagens em utilizar a história da matemática em sala de aula? Vou citar alguns:

  • melhora o aprendizado do aluno;
  • estimula para o estudo pois tem poder motivador;
  • possibilita a elaboração de atividades diversificadas por parte do professor;
  • prende a atenção dos estudantes nas aulas;
  • responde a dúvidas referentes a procedimentos matemáticos

A história da matemática dá respostas e justifica o surgimento de teorias. Porém, quando é abordada na forma de narrativas envolvendo nomes, locais e datas não desperta o interesse dos alunos.

 

 

Para utilizá-la como recurso metodológico eficaz é fundamental que o professor dê asas à sua criatividade para propor tarefas e elaborar atividades atrativas. O uso de mapas geográficos e linha do tempo são estratégias muito interessantes para situar os fatos no tempo e espaço!

Histórias em quadrinhos

As histórias em quadrinhos (HQ) são muito apreciadas pelos alunos e, por isso mesmo, constituem-se em um poderoso recurso a ser utilizado para dinamizar as aulas de diferentes componentes curriculares. E porque não utilizá-las nas aulas de matemática?

As histórias da matemática podem ser transformadas em interessante HQ’s, em que os alunos criam enredos e diálogos a partir de pesquisas e leituras.

O balão é um elemento característico dos quadrinhos e forma um código de texto e imagem transmitindo informações aos leitores.

Uma boa opção para auxiliar a garotada na criação de histórias em quadrinhos é a utilização de softwares específicos para a edição de histórias. O software livre Hagáquê (2011) é um editor de histórias bastante fácil de manusear. Possui um banco de imagens (personagens, cenários, objetos), sons e vários recursos de edição. Permite, também, a inserção de quaisquer imagens e conta com um tutorial dinâmico e de linguagem acessível.

Criar HQ’s com o uso do computador e de um softaware é tudo de bom! Os alunos interessam-se pela atividade e esmeram-se em apresentar à turma o resultado de seu trabalho que envolve a pesquisa da história, a seleção das imagens e a criação do enredo.

A manipulação do software pode ser iniciada no laboratório de informática da escola num processo de descoberta da utilização das ferramentas. Outra possibilidade consiste em mostrar vídeos explicativos ou tutoriais disponíveis na internet.

HagáQuê

O HagáQuê é um software para edição de histórias em quadrinhos com fins pedagógicos. É muito fácil de utilizar o software, até mesmo por alunos inexperientes no uso de computadores, e as ferramentas disponíveis facilitam o processo de criação das histórias.

O HagáQuê possui uma interface bastante amigável, como pode ser visto na imagem que segue.

Ao clicar na aba “Figura” e, depois, em qualquer área dos quadrinhos, é possível inserir imagens coloridas ou em preto e branco de cenários, personagens e objetos. Da mesma forma, inserem-se balões, sons e novas imagens.

À direita, ao clicar na imagem do dragão ou da formiga, pode-se ampliar ou diminuir, respectivamente, as imagens inseridas. Recortar figuras, inserir textos, inverter e girar imagens, apagar e colorir são opções, dentre outras, dos ícones à direita da tela do HagáQuê.

Há vários tutoriais do HagáQuê disponíveis na internet.

Os quadrinhos e a história da matemática

Para iniciar a criação de HQs nas aulas de matemática o primeiro passo é a pesquisa. Para isso, professores e alunos podem contar com livros didáticos de matemática do ensino fundamental e médio, uma grande variedade de paradidáticos e de buscas na internet.

A história da matemática está sendo cada vez mais estudada e publicada em fontes  confiáveis,  fato esse que facilita a busca de informações.

Há uma grande variedade de assuntos que rendem interessantes HQ’s, tais como, a origem dos números e dos sinais; o surgimento das frações e das medidas, a história da álgebra e da geometria.

A proposição da atividade em pequenos grupos favorece a troca de ideias, fomenta a criatividade e facilita a execução. É importante que o professor, juntamente com a turma, delimite os objetivos da pesquisa, bem como as questões a serem abordadas. A indicação de algumas fontes seguras de pesquisa também será de grande auxílio.

Após o levantamento de todas as informações pertinentes ao assunto é hora de produzir a HQ. A figura abaixo mostra uma história que trata sobre o surgimento das frações (GUELLI, 1998).

 

A socialização de todas as histórias produzidas na classe, após a conclusão da atividade, valoriza os trabalhos e abre espaços para comentários e discussões.

A história da matemática contada em quadrinhos é uma possibilidade testada e aprovada. Os alunos aplicam-se em todas as etapas do trabalho, desde a pesquisa até a produção propriamente dita.

O rodízio dos trabalhos entre os grupos socializa, também, as técnicas referentes à tecnologia empregada por cada um. Os estudantes têm um conhecimento de informática que, muitas vezes, surpreende e todos aprendem, professor e alunos.

A situação também deve ser aproveitada para uma orientação mais detalhada sobre o que é e como se faz uma pesquisa. Depois de uma maior familiaridade da turma com a atividade como um todo, a mesma pode ser antecedida, em outros momentos, da elaboração de um projeto de pesquisa.

Referências Bibliográficas

GELLI, Oscar. Matemática: uma aventura do pensamento. São Paulo: Ática, 1998

HAGÁQUÊ. Disponível em: <http://www.nied.unicamp.br>. Acesso em 20 set. 2011.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. 2. ed. Rio de Janeiro: DP & A, 2000. 3.v.

Bibliografia Consultada

ARAÚJO, Gustavo C.; COSTA, Maurício A. da.; COSTA, Evânio B. da. As histórias em quadrinhos na educação: possibilidades de um recurso didático-pedagógico. In: A Margem Revista, n 2., 26-36 jul./dez. 2008.

GELLI, Oscar. Matemática: uma aventura do pensamento. São Paulo: Ática, 1998

GUTIERRE, Liliane dos Santos. Inter-relações entre a História da Matemática, a Matemática e sua aprendizagem. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2003

MENDES, Iran Abreu. Investigação histórica no ensino da matemática. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2009.

MIGUEL, Antonio; MIORIM, Maria Ângela. História na Educação Matemática: propostas e desafios. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

2 opiniões sobre “A história da matemática em quadrinhos

  • 08/06/2018 em 22:04
    Permalink

    Muito interessante o conteúdo, obrigado pelo excelente artigo!!! Sou professor e gosto muito da profissão, de ensinar, grande abraço!

    Resposta
    • 10/06/2018 em 17:40
      Permalink

      Obrigada Tomaz!
      Um grande abraço a você também!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *